Os transtornos de ansiedade são o tipo mais comum de transtornos psiquiátricos. Muitos pacientes com distúrbios de ansiedade experimentam sintomas físicos relacionados à ansiedade e, posteriormente, visitam seus provedores de cuidados primários. Apesar das altas taxas de prevalência desses transtornos de ansiedade, muitas vezes eles são insuficientemente reconhecidos e problemas clínicos pouco tratados.

De acordo com o Manual de Diagnóstico e Estatística de Distúrbios Mentais, Quinta Edição ( DSM-5 ), Os transtornos de ansiedade incluem distúrbios que compartilham características de medo excessivo e ansiedade e distúrbios comportamentais relacionados. Esses distúrbios incluem transtorno de ansiedade de separação, mutismo seletivo, fobia específica, transtorno de ansiedade social (fobia social), transtorno de pânico, agorafobia, transtorno de ansiedade generalizada, distúrbio de ansiedade induzido por substância / medicação e transtorno de ansiedade devido a outra condição médica. O transtorno obsessivo-compulsivo (incluído nos transtornos obsessivo-compulsivos e relacionados), distúrbio de estresse agudo e distúrbio de estresse pós-traumático (incluídos no trauma e distúrbios relacionados ao estresse) já não são considerados transtornos de ansiedade como estavam na versão anterior do DSM. No entanto, esses distúrbios estão intimamente relacionados aos transtornos de ansiedade e a ordem seqüencial desses capítulos no DSM-5 reflete essa relação próxima.

Os transtornos de ansiedade parecem ser causados ​​por uma interação de fatores biopsicossociais, incluindo vulnerabilidade genética, que interagem com situações, estresse ou trauma para produzir síndromes clinicamente significativas.

Sintomas

Os sintomas de pessoas que sofrem de ansiedade tem duas variantes, uma delas trata-se exclusivamente do psicológico que por conseguinte originam os sintomas físicos. Entre os mais aludidos estão:

Preocupação extrema: esse sintoma aparece geralmente em pessoas que vivem em constante pressão na vida, pessoal ou profissional, e querem que tudo saia conforme (ou melhor do que) tinha planejado. O perfeccionismo é tanto que tais pessoas nem se dão conta de que toda essa preocupação para algo dar certo é na verdade uma ansiedade para ouvir opiniões positivas de quem as julgam.

Autoconsciência: não são todas as pessoas que tem a desenvoltura de chegar em alguma festa e conversas com todos, beber, comer sem ao menos sentir que está sendo inconveniente. A autoconsciência começa a se tornar um mal assim que a pessoa se sente tão inconveniente de realizar uma tarefa, que desiste dela, tremem, se avermelham, suam;

Medos Irracionais: um dos fatores que poucos conseguem observar ligação com a ansiedade é o medo que alguma pessoa tem de animais, de voar ou de até mesmo estar em meio a uma multidão. Pode parecer apenas uma simples fobia, mas quando ela se torna exagerada, já cai na categoria de transtornos; você se torna incapaz de fazer mais do que sua mente te delimita;

Lembranças ruins: se você já passou por alguma situação/evento que marcou a sua vida de maneira negativa, algo realmente traumático e que costuma lembrar em certas ocasiões, completamente normal. Mas isso se torna parte de um transtorno de ansiedade à partir do momento que esse “Flashback” começa a aparecer constantemente em sua mente;

Já os sintomas físicos que acontecem em ataques repentinos, sem motivos aparentes podemos citar:

Dores: essas dores na barriga que você tem, que causam enjoos acontecem muito por conta da agitação com que você balança suas pernas e braços, pois está nervoso. No peito ou na cabeça, as dores de quem sofre com ansiedade são acarretadas pelo nervosismo ou preocupação que estão tendo com algo (um medo constante).

Roer unhas: esse é o sintoma que mais escancara que uma pessoa é muito ansiosa e acontece com mais de 63% da população brasileira. Geralmente, isso é nítido para quem está ao lado de alguém com transtornos de ansiedade: quem sofre se cala, começa a pensar em problemas e imediatamente leva as mãos a boca para roer as unhas;

Tensão muscular: observa-se nitidamente isso em pessoas que passam o dia sentado e/ou que exercem atividades que não exigem muito do corpo. Tais pessoas não conseguem controlar seus próprios pensamentos e constantemente apertam a mandíbula, flexionam o punho (ou o corpo todo), tensionando-o com vigor;

Insônia: embora pareça bem claro que a insônia está diretamente ligado a preocupações com a família, com dinheiro ou com outro problema na vida pessoal, e que em poucos dias, muitas pessoas não conseguem se livrar desse mal. A insônia se torna tão comum que acaba sendo algo corriqueiro. Entretanto, isso é um sintoma claro de que essa pessoa está com transtornos;

Controle da Ansiedade

Para que haja um maior controle sobre a ansiedade, o individuo pode tomar fármacos indicados por médicos auxiliem na diminuição de alguns desses sintomas, além de que, ele poderá utilizar-se da medicina natural, como por exemplo, plantas que possuem o efeito de calmante e, se achar necessário, caso haja um aumento periódico das crises também deverá fazer acompanhamento com o psicólogo.